Corretores de Imóvel: A História

No ciclo colonial do Brasil, famílias de notáveis fazendeiros começaram a buscar casas nas cidades. O processamento lento e constante de transformação das pequenas cidades ou bairros de cidades grandes começou a dar oportunidade de trabalho para vários indivíduos. Com a expansão da atividade e o crescimento da rivalidade, os “intermediadores de serviços” começaram a anunciar as ofertas de venda de imóveis em cartazes nas ruas, armazéns e em pequenas lojas de comércio.

Como surgiu

A explosão do urbanismo nas primeiras décadas do século XX, por causa de à imigração de italianos, impulsionou o progresso das cidades do Brasil. A implantação de fábricas exigia a concentração de um grande algarismo de pessoas na mesma região, dando origem às vilas de operários e, com elas, a necessidade de habitação, transporte, saneamento, áreas de lazer. O “administrador imobiliário” passou a necessitar conhecer todas as qualidades da região e dos imóveis no qual se localizavam.

Com o mudar dos anos, a profissão evoluiu e se especializou. Entre os principais fatos ocorridos, destacam-se: identificação do primeiro Sindicato de Corretores de Imóveis do Rio de Janeiro, em janeiro de 1937. Após serem conhecidos por diversos nomes, até mesmo como “agentes do comércio”, em 1942, o Ministério do Trabalho, na sua Carta Sindical, designou-os como “Corretores de Imóveis“. Uma qualidade forte do desempenho do agenciador de imóveis é estar de modo direto ligados com a expansão e progresso das cidades.

No aquele ano, o Sindicato de Corretores de Imóveis do Rio de Janeiro, em conjunto com o Sindicato de Corretores de Imóveis de São Paulo, lançou o decálogo do corretor de imóveis, que conta como deveria ser o espírito e a comportamento dos profissionais.

A primeira imobiliária

As imobiliárias surgem em meados da década de 1950, no momento em que as pressões pela regulamentação da arte ganham vigor. Sua ação tinha um lugar exclusivo no setor de loteamento. Novos bairros impulsionavam seus primeiros passos e a atuação do corretor de imóveis era fundamental na motivação, no incentivo e na colocação direta de novos loteamentos. A imobiliária surgiu somente após a fundação da cidade em 1990.

img-primeira-imobiliaria

O corretor de imóvel no século XX

Também no início do século 20, a maior parte dos indivíduos vivia no setor agrário. A sociedade brasileira inclusive era dividida por camadas, sendo a propriedade fundiária o essencial agente para medir a posição civil do povo. A economia brasileira era agroexportadora, pautada na fabricação de café, logo não havia classe média. A jovem burguesia, os funcionários públicos e os profissionais das finanças estavam atreladas ao progresso das cidades. O desenvolvimento dessas classes foi o que possibilitou a consumo de imóveis via anúncios em jornal. Com a distribuição de anúncios se tornando uma coisa cada vez mais comum, logo surgiu uma nova arte: o agente imobiliário, especializado em expor as melhores características de uma casa para atrair compradores.

A consolidação da profissão

Após enfrentar várias dificuldades nos anos 70, os corretores de imóveis se firmaram no mercado brasileiro ao longo do decênio de 80. Surgiu a necessidade de acomodar a atividade de controle em escala nacional, atraindo para várias regiões as técnicas e competências já usados nos mais Estados.

img-negocios

Similarmente neste tempo surgiram cursos de formação técnica em negócios imobiliárias, complementando a formação de quem já possuía o segundo grau escolar. Entre os anos 80 e 90, foram criados 24 conselhos regionais nas principais capitais do Brasil, que passaram a controlar a atividade desses profissionais, alcançando respeito e idoneidade. Também nesse ano, imobiliária fazenda rio grande começou a surgir.

Nesta mesma era, o computador se estabelece como ferramenta do corretor de imóveis. Os profissionais cadastram o imóvel em um banco de dados informatizado especial para corretores e imobiliárias credenciadas no Conselho Regional de Corretores Imobiliários (CRECI). Criou-se uma rede no qual o corretor pode acessar, via Internet, diversos serviços: no Cartório de Registro de Imóveis, pode levar a Certidão Negativa do imóvel na sua casa ou escritório. Além do mais, o redator pode proporcionar financiamento imobiliário a seu cliente, tal como seguro do bem, transporte da mudança, entre outros.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *